23 outubro 2013

Jardim


Entre uns e outros anos, nós relacionamos com algumas pessoas e a chamamos de companheiro (a). E um dia ela o deixa, obviamente fica triste, porque uma parte de você se foi. Se olhar para trás perceberá, que se envolveu com todos os tipos de pessoa, e hoje ao vê-la não sente da mesma forma que sentia. É capaz até de dar um abraço, ao encontra-la depois de muito tempo.
É irônico ver, que tudo passou, e hoje está bem mais forte. Como costumo dizer, somos como uma planta, que está aparentemente bonita no jardim, e vem o jardineiro e nos poda. Para que, pensamos doloridos com a perda daqueles galhos que se permaneciam por algum tempo, justo esses galhos retirados que farão com que novos venham, e ainda mais fortes e saudáveis.
Não vou negar que chorei a perda de alguns galhos, mais agora sei que tudo que se passou foi realmente necessário, para que enfim eu crescesse, amadurecesse. Sempre há mais a se fazer pelo seu jardim interno, cuide-o siga os conselhos de pessoas mais velhas, que já são sábias, e irão auxilia-lo na manutenção do seu espaço.
E lembra-se da velha história, de cuidar do seu jardim para que a borboleta chegue e se aconchegue, então comece limpando as magoas que tem, perdoando, amando-se, e respeitando a si a cada instante. E parabenizando-se a cada limpeza concluída, pois merece algo divino, mais isso não acontecerá se não fizer por si só. Ninguém é capaz de trazer lhe a felicidade a não ser você mesmo.


Suellen Mainardes 

Nenhum comentário:

Postar um comentário